Nova Economia: desafios e tendências na indústria automobilística



A indústria automobilística, assim como inúmeras outras, foi diretamente impactada e prejudicada pela economia atual. Os veículos estão cada vez mais caros, o que dificulta para uma boa parcela da população trocar ou simplesmente comprar o primeiro carro ou moto.


Porém, esse não é o único desafio que a indústria automotiva está enfrentando atualmente, muito pelo contrário. Há diversos outros problemas que as empresas precisam enfrentar no cenário atual. Para conhecê-los e encontrar possíveis soluções, confira os tópicos a seguir.


Valor dos carros e o poder de compra

Conforme já adiantado anteriormente, o preço médio dos veículos aumentou bastante nos últimos tempos. Mas o poder de compra dos consumidores infelizmente não.

Então como contornar esse dilema?

Essa é uma das maiores questões que os gestores vêm enfrentando atualmente, já que é muito difícil fazer promoções com carros. Talvez a melhor solução aqui seja negociar ou procurar veículos usados ao invés de modelos zero quilômetro.


Energias limpas e renováveis

Como você bem deve saber, o planeta está ficando cada vez mais superaquecido, e o combustível (diesel, etanol e gasolina) usado nos automóveis é um dos maiores vilões, pois a emissão de dióxido de carbono contribui para o efeito estufa.

Sabendo disso, muitas empresas têm investido cada vez mais em carros elétricos e na energia solar. Mas infelizmente essas tecnologias ainda custam caro e estão restritas a apenas uma parcela da população.


Os veículos elétricos utilizam bateria para viajar, porém isso acaba se tornando o Calcanhar de Aquiles desses modelos. Isso porque algumas são bem pesadas (com mais de 600 quilos), sua vida útil não é muito longa, e a autonomia não é tão grande para viagens mais longas. Além disso, elas não são intercambiáveis entre as marcas, cada uma tem a sua.


Porém as montadoras também já estão cientes disso, e já estão investindo em baterias com eletrólitos no estado sólido (as chamadas baterias SSB), que prometem ser menores em tamanho, mais leves e com maior vida útil e autonomia.

Só que, ao mesmo tempo em que a indústria de automóveis está trabalhando para melhorar as baterias, isso pode impactar no preço dos veículos futuramente, que tendem a vir ainda mais caros.


Segurança

A segurança presente dos automóveis está sempre em evolução. E um dos grandes desafios encontrados atualmente nos veículos elétricos é o risco de incêndio nos motores. Isso acontece porque elas são feitas de íon-de-lítio com eletrólitos pastosos ou líquidos.


E várias montadoras, tanto do Ocidente quanto do Oriente tiveram que fazer recalls de motores elétricos nos anos recentes por conta de incêndios na hora de recarregar. Tanto é que uma das marcas chegou até a orientar os clientes a não recarregarem dentro das garagens e os deixar do lado de fora de casa.



Manter o Brasil ativo para as montadoras

Outro grande desafio, que envolve mais a economia do país como um todo do que só por parte das montadoras, é manter o Brasil ativo para que as fábricas possam continuar por aqui.


Recentemente, três montadoras saíram do território nacional. São elas: Audi, Ford (que tinha fábricas aqui há mais de 100 anos) e a Mercedes-Benz. Isso por conta do risco Brasil, à instabilidade da economia e da política entre outros fatores que pesaram na decisão dessas gigantes.


E esses riscos são péssimos para o Brasil, pois as marcas podem demorar anos até voltar ao país, isso se voltarem algum dia, já que não há promessas de um retorno.


Conectividade pela internet

Como todos sabem, a internet está cada vez mais presente na vida das pessoas. E mesmo dentro do carro, muitos não se desligam dos smartphones (apesar de ser terminantemente proibido e não recomendado dirigir mexendo no celular), tablets, etc.


E hoje em dia, as montadoras vêm inserindo cada vez mais tecnologias em seus veículos como, por exemplo, microcomputadores, chips, sensores e softwares. Dessa maneira, é possível que o consumidor possa interagir mais com o seu automóvel.

O momento certo de abastecer, informações importantes sobre o filtro do ar-condicionado, uso correto ou não do freio e da aceleração, status do câmbio, entre outros dados são apenas alguns dos exemplos que podem ser informados a partir da internet.


E toda essa informação que é coletada é transmitida para a empresa automotiva, que armazena tudo em seus bancos de dados e consegue acompanhar se seu produto está operando da maneira que deveria.


Inteligência Artificial (AI)

Os robôs já fazem parte há muitos anos de todo o processo de fabricação de veículos. Porém a tendência é que eles aumentem sua participação e não façam só as tarefas operacionais, mas também consigam preencher planilhas e sistemas, enviar e-mails e tornar o processo de comunicação entre todos os setores da empresa ainda mais aprimorado.


O Robotic Process Automation (que pode ser abreviado para RPA e traduzido como Automação de Processos Robóticos) é capaz de auxiliar em diversas tarefas administrativas. Porém essa tecnologia em específico pode gerar um impacto na economia, já que, se a Inteligência Artificial consegue fazer todo o trabalho de uma pessoa, por que mantê-la trabalhando na empresa? O fator humano ainda é muito importante em diferentes níveis de atuação, seja na indústria automobilística ou em tantas outras.


Essas são as tendências e desafios que as montadoras precisam enfrentar a curto e a médio prazo. Será preciso muito planejamento para enfrentar de frente todos esses problemas.


7 visualizações0 comentário