Pesquisa revela que empresas têm dificuldades de inovar

Atualizado: 19 de abr.



Inovar sempre foi fundamental para o desenvolvimento e progresso de uma empresa. O processo de inovação se torna ainda mais necessário em meio a intensas transformações digitais e a grande competitividade do mercado.


Porém, uma pesquisa desenvolvida pelo Grupo Altimeter e pela Capgemini Consulting, ambas empresas de pesquisa e consultoria, revelou que grandes empresas do mercado internacional estão enfrentando dificuldades para inovar em suas linhas de atuação. A pesquisa relaciona a demanda por inovação e a dificuldade que empresas possuem para inovar.


Segundo o relatório, essa dificuldade em inovar vem do fato das empresas adotarem métodos ultrapassados de pesquisa e desenvolvimento. Essas organizações estão mal preparadas para o processo de inovação que o mercado atual exige, no chamado darwinismo digital.


Para o desenvolvedor da pesquisa e analista do Grupo Altimeter, Brian Solis, concorrentes que já utilizam tecnologias digitais são uma forte ameaça a modelos de negócios já estabelecidos. Segundo Solis, quem não inovar, irá morrer. E para enfrentar isso e se consolidar no mercado é necessário constante inovação. Utilizando de novas estratégias de pesquisa, desenvolvimento e implementação.


Nesta pesquisa, foram estudadas as 200 maiores empresas do mundo. São empresas de diferentes setores de atuação, como o setor automotivo, setor de serviços financeiros, setor de bens de consumo e varejo e setor manufatura e telecomunicações. Além de avaliarem as empresas e suas divisões de inovação, os pesquisadores também entrevistaram os executivos responsáveis por essas áreas nas empresas.


O que é darwinismo digital

O termo ‘darwinismo digital’ é um fenômeno que ocorre com os modelos de negócios atuais. Esse fenômeno descreve a situação em que empresas já consolidadas não conseguem inovar, nem se adaptar e nem alcançar o desenvolvimento da sociedade e das tecnologias. E com isso, ocorre o surgimento de novos modelos de gestão, novas lideranças e novos modelos de negócios.

Segundo Brian Solis, não é possível inovar apenas adotando as novas tecnologias sozinhas. Mas, ao aliar conhecimentos, com parcerias do ecossistema e com modo de pensar é possível construir um processo efetivo de inovação. O que garante que empresas se destaquem com velocidade, escalabilidade, segurança e convicção. Além de manter seu negócio em curto prazo e obter grandes resultados a longo prazo.


Resultados da pesquisa

Um dos principais resultados notados durante esta pesquisa, foi que diversas empresas buscam inovar através de parcerias ou aquisições de startups da área de tecnologia. Porém, como esse é o único foco de inovação dessas empresas, elas deixam o conhecimento interno que já possuem do mercado de lado.


“É necessário haver um equilíbrio maior entre o conhecimento externo e o interno. Os centros de inovação parecem ser uma maneira eficaz de cultivar a mentalidade ágil das startups. sendo essa mentalidade necessária para permanecer na vanguarda do mercado. No entanto, já ficou claro que criar um centro eficaz exige a superação de vários desafios”, diz o líder global de pesquisa da Capgemini Consulting, Jerome Buvat.


O estudo também mostrou quais as áreas de pesquisas que as empresas mais buscam Na liderança temos a questão da mobilidade (63%) e big data/análise de dados (51%).

Outras percepções da pesquisa trazem dados quanto ao processo de criação, localização, áreas de foco e modelo de gestão de centros de inovação que essas empresas desenvolvem.


O primeiro dado revela que 38% das principais empresas criaram centros de inovação em um núcleo tecnológico global. Sendo que os EUA e a Europa são as localidades que mais possuem esses centros com 29% do total. A Ásia fica em segundo lugar, com 25%.


Sendo um pouco mais específico, o Vale do Silício é o local mais interessante para instalação de centros de inovação, sendo que 61% das empresas já abriram um ou mais centros no local.


Quais os principais tipos de centros de inovação

A pesquisa identificou quatro principais tipos de centros de inovação desenvolvidos pelas empresas estudadas. São eles:


Laboratórios internos de inovação

São espaços que realizam todas as atividades para a empresa inovar. Desde a pesquisa e a concepção até a criação de protótipos, usando de recursos internos para esses desenvolvimentos.


Residência universitária

Nesse modelo de centro de inovação, as organizações investem em espaços dentro de um campus universitário O objetivo é impulsionar a inovação usando pesquisadores universitários.


Âncoras comunitárias

Nesses centros o objetivo é identificar mentores e oferecer oportunidades para as startups. Com isso, é possível trabalhar ativamente junto com a empresa no teste dos seus produtos. Tanto internamente, como diretamente com os clientes.


Postos avançados de inovação

Compostos por pequenas equipes que trabalham em hubs tecnológicos. Nesse modelo as empresas de grande porte, envolvem-se com a comunidade tecnológica sem arcar com grandes investimentos.


Como inovar com efetividade

O processo de inovação requer pesquisas, estratégias e objetivos bem definidos e alinhados com o modelo de negócio da empresa. O estudo aponta algumas diretrizes para a forma de inovar das empresas.


Como principal requisito para inovação está a definição de um objetivo claro e a criação de um modelo sólido de administração. Garantindo o apoio das gerências para que a implementação ocorra em toda a empresa.


Outra diretriz é definir um foco realista para a inovação. Um foco nem muito futurista nem muito ligado às operações tradicionais do negócio. E com isso envolver as unidades de negócio para evitar isolamentos.


Além disso, é fundamental desenvolver uma equipe multifuncional que atue tanto em ambientes estruturados como não estruturados. Porém, atuar junto a grupos variados de parceiros também é necessário para a empresa inovar de forma efetiva. Lembrando que é necessário estabelecer bons critérios para selecionar esses grupos.


Já para a questão financeira é necessário atuar com determinado grau de liberdade orçamentária, mas sempre com estratégia. Tendo em vista que em certos momentos será necessário abandonar o projeto.


Inovar é fundamental para se manter ativo no mercado e conquistar resultados a longo prazo. Um exemplo de sucesso no processo de inovação é o Walmart, que desenvolveu o Walmart Labs. Um centro de inovação da marca que cria inovações para o e-commerce da marca. E também a AT&T, que criou a rede de centros de inovação “Foundry”. Centro responsável por disseminar a cultura de inovação e criatividade pela organização.

Você pode conferir o relatório completo da pesquisa clicando aqui.

Confira, também, várias dicas para inovar a sua empresa nos nossos blogposts.



55 visualizações0 comentário