top of page

Como se preparar para entrevistas


A sua carreira pode ser vista como um produto em constante desenvolvimento. A questão é: como você está apresentando esse produto e como você está priorizando suas iniciativas para aprimorá-lo? 

Pega um cafézinho pra essa conversa! Vamos começar um pouco antes da entrevista. Antes de qualquer conversa você precisa entender o que faz o seu coração bater forte, que tipo de empresa e que cultura você gostaria de trabalhar, afinal não é apenas a empresa que te escolhe, mas você também escolhe onde quer trabalhar. 


✨Então onde você quer trabalhar e o que faz seus olhos brilharem?✨

Nesse sentido, é super importante avaliar alguns aspectos como, o estágio da empresa (como startup, accelerated growth, sustaining success, turnaround) entendendo o impacto deste momento na sua atuação, o que e o quanto vai exigir de você. Avaliando a dinâmica daquele mercado, a cultura organizacional (inovadora, tradicional, hierárquica, horizontalizada, colaborativa, individualista diversa... o que compõe a cultura e os valores daquele lugar?), o quanto você acredita e se conecta com a sua missão, as expectativas com o cargo e, claro, a remuneração oferecida. 

É claro que outras variáveis influenciam, como a oportunidade de aprender com colegas/líderes, investimento em desenvolvimento e em ações para fortalecer a cultura, a maturidade dos processos, a flexibilidade de trabalho (remoto, híbrido ou presencial), entre outros. Não me fixarei em detalhar todos neste momento, até porque tudo isso depende dos seus interesses, do momento da sua carreira e do planejamento de carreira/crescimento que você tem. Mas você pode começar a sua busca pelo o Glassdoor, Linkedin, se conectar com pessoas que trabalham na empresa e ver o que estão falando sobre a sua experiência ali, buscar pela página de carreiras, blog e demais canais que a empresa possa ter.


✨Entrevista e algumas dicas de como mandar bem✨

Então, após encontrar a empresa e dar o primeiro match, é hora da entrevista. Muita gente me pergunta “como posso mandar bem na entrevista?” ou “O que eu posso ou não falar?”.

Tenho uma notícia boa e uma ruim para dar. A notícia boa é que você pode se preparar para potencializar suas chances de aprovação. A notícia ruim é que não existe fórmula para garantir aprovação no processo seletivo.


Deixa eu te contar uma coisa então?! Aqui na Evoluum não queremos saber os “pontos negativos” de uma pessoa candidata. Queremos saber no que você é bomcomo você pode agregar valor ao timeo que te motiva e como você tende a agir em determinados contextos, entendendo se faz sentindo com a cultura que temos aqui. Queremos te ajudar na entrevista e te tornar mais consciente sobre isso. Nossa missão é ajudar as pessoas a brilharem, entendendo suas conquistas, sua história e sua evolução.


✨O problema não é errar, é não fazer nada diante do erro✨ 

Na hora da entrevista é muito importante que você seja transparente, não fique com medo de compartilhar suas conquistas e suas falhas. O estranho é quando o candidato parece perfeito, aí sim há algo faltando. Não importa se você perdeu aquela venda, se você entregou depois do prazo, se não documentou o código de maneira clara ou se não configurou adequadamente o ambiente de produção. O que importa é: O que você fez quando isso aconteceu? O mais importante é como foi a sua resposta, o que você fez para solucionar esse problema e o que aprendeu com isso!


✨CAR: o melhor jeito de garantir clareza nas suas respostas✨

Uma pessoa recrutadora sempre vai querer entender:


  • Contexto: Qual o contexto ou a situação que você está falando, as motivações e as pessoas envolvidas;

  • Ação: O que você fez nessa situação? Quais foram as suas ações e responsabilidades (cuidado com o uso isolado do “NÓS”, lembre-se que trabalho em equipe são bem vistos, e é importante reconhecer que realizou seus trabalhos com outras pessoas, mas também deixe claro que efetivamente você fez ou o que especificamente você foi responsável por executar);

  • Resultado: Qual foi o resultado obtido, o que aconteceu depois.


Vamos ver esse exemplo fictício:

“Quando eu trabalhava na empresa X, identificamos que a gestão do backlog não estava ocorrendo com a assertividade necessária, as prioridades mudavam muito rápido ou tínhamos muitas prioridades conflitantes, realizando a maioria das entregas fora do prazo. Eu compartilhei essa preocupação com a minha liderança e chamei a P.M.  para uma análise conjunta. A partir disso, nós dois começamos a identificar as entregas mais urgentes alinhadas com as prioridades dos clientes e os lançamentos planejados das novas features. Assim conseguimos entender melhor e direcionar com mais assertividade o que precisávamos fazer levando em consideração a nossa real capacidade de entrega. Tivemos que renegociar prazos com a gestão e demais stakeholders envolvidos e combinamos em equipe dar um gás nesta entrega final, e com isso conseguimos entregar com sucesso a nova feature, que era a mais crucial para a empresa naquele momento.”

Aplicando a fórmula CAR quando for contar um desafio, um caso, resultados conquistados ou uma história, aumentam as chances da sua mensagem ser passada de forma mais clara e assertiva!!


✨O que fazer quando você se deparar com essas situações?✨


  • Como escolher quais situações ou histórias contar? Leia a descrição da vaga, pesquise sobre a empresa, escute o que te apresentam no processo seletivo e/ou avalie o que estão te perguntando para trazer o melhor case que você tiver. Algo que pode ajudar é, antes da entrevista, relembrar dos seus melhores cases, das situações mais desafiadoras que você já passou ou das histórias mais marcantes da sua carreira. Isso te ajudará a escolher o melhor cenário para a entrevista, aquele que faz mais sentido para a vaga. Você também pode perguntar para a recrutadora “eu entendi que a sua dúvida é sobre x, está correto?, a fim de calibrar o que você entendeu e escolher a situação mais pertinente para compartilhar. 

  • Se perguntarem algo que você não sabe ou não tem experiência "formal" no trabalho, o que fazer? Você deve ser transparente e falar que não vivenciou isso, mas você também pode pensar em situações parecidas para compartilhar e demonstrar como você navegou nesse cenário. Lembre-se que experiências fora do currículo também demonstram habilidades. A forma como você realiza o seu planejamento financeiro pode dizer muito sobre a sua organização. Seus posts no Medium, LinkedIn (ou outro canal) podem dizer muito sobre sua comunicação e sua vontade de compartilhar o que você sabe. 

  • Esteja preparado para responder a tão famosa pergunta “me conte um pouco sobre você”. Normalmente essa pergunta é feita para que a pessoa compartilhe um pouco da sua trajetória e carreira. A pergunta é aberta pra você escolher trazer aquilo que foi mais importante pra você ou teve uma contribuição significativa. Questões abertas te dão a liberdade de trazer aquilo que foi mais relevante pra você. E lembre de responder a pergunta de forma completa (CAR - como vimos acima) para potencializar suas respostas, pois o que você escolhe trazer/falar e como você lidou com essa situação é avaliado.



Não existe uma receita de bolo para ir bem na entrevista ou ser aprovado no processo seletivo, mas você pode se preparar para este momento. Autoconhecimento é algo muito importante, além disso estudar sobre a empresa e sobre a vaga, relembrar seus cases e desafios, além de treinar contá-los usando o formato CAR pode te beneficiar muito durante todo o processo!


Espero ter ajudado!




0 visualização0 comentário
bottom of page